Sobre textos e pensamentos religiosos

Caros leitores e seguidores do meu blog,

Em relação aos meus pensamentos e textos religiosos, quero que saibam que não estou impondo como verdade absoluta aquilo que sinto e acredito como correto. Cada pessoa tem sua experiência e seu sentimento com Deus.

segunda-feira, 30 de março de 2009

Fuga

Me transporte por aí, além de ti, além de mim.
Me desbote e fuja de bote porque tu me amas e não admites, por isso estou triste.


1996

terça-feira, 24 de março de 2009

Busca por respostas

Minha falta, minha sobra, os defeitos falarão ainda que sem motivo transparente.
Como ser profundo e terno sem grandes causas?
Penso em como entregar-me tal como gostaria sem deixar causas pendentes.
Quem dirá onde está nosso erro? Quem ditará os conceitos de sobrevivência? Onde estão as virtudes do homem sem diretriz?
Antes indagava tanto!
O quanto antes, até que me respondiam o dia e a noite deitada.
Enquanto isso restava sorrir para questões quase insolúveis e tornava-se consolador ver pretensos amigos calados, olhando no fundo do mundo, buscando minhas respostas.
Quem vai chorar e amar a melancolia? Quem se condoerá com silenciosas dores?
Hoje escutei canções, vi uma multidão vazia e um grande céu, onde se descobre questões sem limite, diferente de tudo mais abaixo do céu, pois em tudo se impôs limite.
Nossa ânsia por respostas é de sobra e paciência nos falta, tornando-nos invólucros retentivos de anseios impacientes, e as respostas vêm como nuvens consistentes em formas primeiramente vistas depois dispersas como fumaça.



1995

quinta-feira, 19 de março de 2009

Satisfaz

Quando se encontra o que se procura, satisfaz.
A sensação de conhecer entrega os pontos, mas não estamos prontos.
Você sempre foi e voltou.
É sempre uma festa o teu regresso.
Nunca vi seu rosto, mas já tive sensações de conhecer...
Satisfaz saber e sentir o que se sabe.
Satisfaz sofrer e sentir o crescimento.
Satisfaz não entregar os pontos.



1995

segunda-feira, 16 de março de 2009

Feliz verdade natural

Animais, me guiem no instinto, no faro, no rastro.
Levem-me ao cimo dessa vida chamada de história, sem disfarce, sem enlace nas mentiras.
Alegrem-se ao terem em si a natureza banhada de verdade.
Alegrem-se ao contemplar no tempo o final da tempestade, pois são renovos, perfeitos encontros de águas e vidas, são visíveis harmonias...
É banhar de transparência e verdade a existência pura do teu ser.



1997

quinta-feira, 12 de março de 2009

Eu te amei

Ao som dos mares te amei...
como se ama o natural.
Como se ama as coisas sagradas, não sei.
Seria a profana conquista humana.
Sei que profundamente te amei sem querer saber se no instante secreto
o mundo me rodeava, se ao menos eu estava numa esfera ou no paraíso...
sei que pouco nos importamos com isso!
Pois somos mais do que seres humanos quando amamos, em busca não somente dos prazeres, mas em busca do sublime, do sonho real que tine.
E somos seres flutuantes, de mares navegantes, amantes, de um espetáculo os estreantes.
Ao som da vida eu te amei e sei que te pertenço quando me pertences e assim somos dois em um, somos preces ouvidas, somos duas realizações na vida.



1996

quarta-feira, 11 de março de 2009

Medo

Existiu o medo.
Existe o enlace.
A busca do proibido
para encontrar o perigo.
Desejar entender coisas,
dominar tantas fantasias
é criar através do imprevisível destino.
Medo extinguiu!
Nasceu a chance de acreditar
que podemos tudo.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Continuar

Olha que tolice querer ser pela metade!
Jamais houve nisso qualquer felicidade.
O mundo inventa antagonias e agonias de querer sem se importar com o todo, o sentido inerente do sentir.
Sou livre por me resolver simplesmente como o voar das aves.
Felizmente existe o dom, a alegria, o prazer por continuar.



1997

sábado, 7 de março de 2009

Criaturas

Na ligação do mundo com as criaturas, estão as loucuras, usuras usurpadoras da matéria viva e pela morta, bruta, adquirida.
Há busca incessante ou não, cansaço ou cão faminto pelo pão, pelo descansar.
São as criaturas verdes ou cinzas, futuras, pouco maduras, traduzidas e reduzidas a nada.
Criaturas tapeadas, febris e senhoris de cada estampa concedida pelo social.
São faces que se perdem e que se acham imprudentes no deslize, no sonho
e nas cicatrizes.
Criatura social, criatura em pedestal, anti-social, criatura normal, amoral, moral, usual, emprestada, cordial, fascinada pelo virtual.


1997

terça-feira, 3 de março de 2009

Hábito

Acostumada
com o fato
de ser
natural,
de ser eu,
de ser humana,
virei gente.



1995

segunda-feira, 2 de março de 2009

Lábios em harmonia

Quantos lábios de harmonia já cantaram essas paixões que somos capazes de sentir!
Tantos ventos sopram no ouvido que tudo será lindo se assim desejarmos!
Mas não basta desejar apenas e apenas acreditar no sabor dos lábios,
na criação dos ventos em harmonia...
é preciso ter fé.
Os pincéis pintam de pintor a pintor a arte de valer a pena tudo e as mãos pintam as paredes do delírio, o teto de algum vício sem motivo para continuar.
Enfim um colorido harmônico traz as cores do arco-íris e um sentido diferente, uma saudade de repente, uma paixão insistente, que em contato com o corpo vira essencialmente um grande amor.



1995