Sobre textos e pensamentos religiosos

Caros leitores e seguidores do meu blog,

Em relação aos meus pensamentos e textos religiosos, quero que saibam que não estou impondo como verdade absoluta aquilo que sinto e acredito como correto. Cada pessoa tem sua experiência e seu sentimento com Deus.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Melhor que antes

Sou melhor que antes quando amo mais que ontem, com a presença de todos os sentidos ou sem nenhum deles.
Sou melhor que antes quando nasce em mim vívido sentimento, como paixão que não suporta a medida, ou intensidade que acolhe, abriga.
Depois sou melhor se tudo isso pulsa, agasalha e envolve ininterruptamente, mesmo que surja um desejo intermitente de qualquer agora, que, por ser desejo somente, percorrerá por toda parte.
E suspirarás então pelo que é ser melhor.
Ser melhor que antes, com algo logo alí dentro, que nunca deixará de escrever a palavra livre, elucidando que, o que reforçar todo válido sentimento, o fará ser mais e melhor do que antes.



02/2006

domingo, 30 de agosto de 2009

Sede

Que tenhas sede...
mas sede do saber
e querer conhecer
o que é bem-vindo à tua alma.
É a nossa sorte:
viver e poder sonhar.


2002

sábado, 29 de agosto de 2009

Pessoas e PESSOAS

Na vida existem pessoas que falam, mas não escutamos, outras que falam e respeitamos;
Há pessoas que nos ferem e deixam cicatrizes, outras que são capazes de nos ajudar a superá-las;
Há pessoas que nos abandonam e pessoas que se fazem nossa companhia sem nem saberem disso;
Existem pessoas que aparecem em nossa vida e nos marcam para sempre. É por isso que existem pessoas e “PESSOAS”. O que difere umas das outras é o que dentro delas existe, que é um não sei o que de encanto que não se sabe o quanto!

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Divergência

Que importa o que eu acho
se o que eu acho
não se encaixa
naquilo que você acha?

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Invisível dor

Que temos a recordar da vida na madrugada insone?
A festa do tempo de poesia a dois, extinta no passado; a anestesia de pedir a todas as coisas para não te despertar de um bom sonho; os anseios e desejos de tanto querer bem.
Temos que perguntar no silêncio o que fizeram do amor, que fora aviltado em suas letras quando proclamado ao vento sem medo de ser engano.
Juntaram palavras vazias para fazer pouco do significado de amar até às entranhas e por maldade diluíram no fel o doce desse sentido que o real sentimento não deixará se perder, mas antes o transformará em pura beleza.


10/09/00

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Saudade

Sobre a saudade que temos de nós mesmos...
É aquela saudade de como eu era feliz, de como eu era inocente, de quando eu era mais jovem, de quando eu era...
de como eu fui, ou nunca fui...
não serei mais.


11/05

terça-feira, 25 de agosto de 2009

À minha moda

Não quero regredir a um elemento bruto ao pensar no que não possuo.
Quero perceber o que fiz da minha vida e esquecer de um dia intruso que na verdade caiu em desuso.
Quero poder ser a mão que abençoa a oportunidade de não errar pelo Deus que rega minha existência.
E vou pertencer a uma nova época que me aceita, e que me conheça sem indignação por meus traços morais, normais, de mostrar à vida como sinto o mundo, como vejo as pessoas e como aceito ou não aceito teu modo de olhar para mim.


21/02/97

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Distinção

As diferenças é que completam.
Eu gosto disso, você de outro isso ou aquilo outro.
Os seres ajustam-se à diferença dos opostos atraídos, sem que percebam isso. E os iguais entram em conflito.

domingo, 23 de agosto de 2009

Agora ou futuramente

Viver como se fosse morrer amanhã.
Viver como se fosse eterno.
Alternativa do intenso, vívido, do que explode em energia, em sinais da representação do aqui e agora da paixão, da atitude, poder de querer, de ter.
Alternativa do protótipo de eterno, o metódico, sonhador.
Entes que planejam futuro remoto a esperar bater em sua porta a festa da vida, quem sabe mais tarde.
Hoje é tempo de acordar, de viver.
Hoje é tempo de presente para desembrulhar como criança que anseia pela novidade com brilho ímpar nos olhos.
Os contados amanhãs têm o nome de futuro significando o que nem sempre ou nunca se pode prever, nos reservando surpresas que aspiramos ou não, e vamos contando nos dedos esse mistério na ilusão de sermos imortais, ou mortais antes do tempo.


2003

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Teus olhos

Quando não posso olhar teu rosto, te olho nas lembranças.
Teus olhos expressivos, teu olhar em mim tão vivo!
Eu sei que me sustentam e que teu doce amor sobre mim se levanta.
Tua formosura e teus deleites, duplicados teus olhos, a luz da tua mente-corpo que acabam de voar em direção à minha memória, a tua boca, doce como uma fruta, teus cabelos feitos da luz da lua prateada, pequenas cores fortes, acumuladas.
Amo os teus olhos e tudo mais porque olharam por sobre a terra, e sobre o vento e sobre a água e tudo mais.
Por que amar somente os olhos inteiros se tenho tudo mais?


1993

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Erros

Tudo era bonito, tudo em nós fazia algum sentido.
Quando o sentido deixava de ter viço, você se perdia e eu nos encontrava.
Na verdade eu nos preparava...
Via em ti os teus defeitos e os aceitava separando-os de ti em sonho, mas não os citava.No fim de tudo que houve e no agora do que fizeste de mim, agora sou capaz de citar seus erros ainda sem coragem de encarar os meus.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Anexo

Viver toma o nosso corpo e vida toma os nossos sentidos.
Ao pulsar o coração, uma corrente avisa: corre na veia uma centelha de sina.
Eis o máximo de viver!
Querer continuar vivendo e ver simplesmente o mutável e simultaneamente invariável.
Tem o aroma do poder transformar ou jamais mudar de lugar, de posição, de jeito, de sentido.
Assim é o corporificar intangível coisa, o complexo do perplexo e admirar inevitavelmente o nexo anexo a todas as manhãs do universo.


1996

sábado, 15 de agosto de 2009

Rascunho do amor

São rascunhos de amor quando confundem.
Amor é o prazer ao que sufoca? É o gosto pelo silêncio ou pela dúvida?
Estranhos amores que se foram e que deixaram enfraquecidas trilhas de dor.
Lembrança do que era ilusão, atração pelo imperfeito, pelo iracundo.
É aquilo que você não sabe se é bom ou ruim.
Ah!...
É isso que é estranho: alegria mesclada à tristeza...
Amor, estranho amor.


2002

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

E só

É como folha verde
banhada de orvalho
que me dá sede.
O brilho molhado
é seco e úmido
que vem dos trópicos
do olhar nos teus olhos,
e só.

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Temor de amar

Não foi por mim que o céu chorou ontem a tarde inteira.
Na chuva de um outono, não vi o meu amor chegar, o meu amor passar, amor ficar.
Vi o meu amor partir, o meu amor sorrir, amor insistir.
A que horas chegará a noite inteira em que juntos sorriremos, que juntos nos amaremos, juntos ficaremos?
Não foi por mim que o céu chorou ontem o dia inteiro sem remorso.
Chorou pelos amores que se desinteressam, pelas dores sem remédio, pela idéia de fim que paira no ar de cada expressão dos rostos que temem a hora de serem inteiramente felizes.

1997

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Alguém intensamente amado

Tanto olhar lhe vigia se cativas!
Se cativas aos montes, são dezenas de olhares que nem sabes.
Não sabes que um olhar lhe vigia, não com intuito de quebrar tua privacidade, mas com intuito de proteger uma verdade: alguém se deixa ser intensamente amado.


11/07/96

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Fantoche

Eu preciso de certezas para viver. Tenho certeza disso!
Também tenho certeza do que vejo.
Querem que eu seja tudo que não seja eu. Querem pintar a minha face articulando fazer outra. Não aceitam a original.
Querem me vestir de modismos, querem pensar por mim e sufocar minha personalidade, meu ponto de vista; querem escolher minhas companhias, impor suas considerações sobre a vida e incuti-las em mim; querem mudar meu conceito sobre o que é a felicidade...
a felicidade é algo individual!
Me querem um fantoche e não gente!
Não um ser pensante, consciente, saudável, positivo, vivo.


10/05

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Outras maneiras

Esta é a nova maneira de dizer: sentir.
É assim que acontece com quem tem apetite aberto para o alimento que são os gestos. E ao sentir ser assim, concluir que possui alma.
A nova maneira te pede: - empresta agora o seu talento para que os outros enxerguem além.
A nova maneira é: pelos sentidos saborear palavras intensas ou doces, loucas ou lúcidas.
É admirar a existência de significados como estes: de ser mistério, sentimento, poesia e liberdade e se observar encantada ao ler em certos olhares o caminho aberto para alguma novidade.


04/2006

sábado, 8 de agosto de 2009

Se fosse um afago no coração...

Não queira ver o fundo do abismo que cavas num amigo.
Ele abriga corpos e flores, sons e dores e o teu pensamento desde o princípio.
Todos os dias anteriores viu-se as terras exteriores e a diretriz remendada do que havia se perdido.
Não o queira ver chorando ou sorrindo, sonhando ou dormindo.Não seria dado a você o direito de ver e nem a pretensão de pensar que tudo o mais ou menos é por você.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

É assim por que?

Divagando em algum momento, viajando pelo tempo, me pergunto de repente: por quê?
Eu desejo viver, encontrar a explicação, que deve existir em algum lugar, do sentido que dou em procurar algo distante, tão distante, docemente distante, lindamente distante, carismaticamente distante! Tão inocente!
Inocente porque não sabe que procuro, e me encontro tecendo argumentos para tentar explicar, depois me perguntando até a exaustão: por quê?
Sempre perguntando as mesmas coisas além do enfadonho por quê.
E já vem o mar sobre mim!
Por que interessa-nos vidas e como são conduzidas?
Por que querer bem do nada?
Não me fizeram nada! Nem mal nem bem...
Mas me fizeram bem!
Alguém me fez sorrir esquecendo por um instante dos dissabores da vida.
Mas e se tivesse me feito mal?
Há quem se apegue, se iluda e faça desse alguém que faz mal, um ser insubstituível. São “amarras neutrais”, que anulam e neutralizam perante a indefinição da consciência de nós mesmos e do nosso valor enquanto envoltório humano de sensações e sentimentos.
Mas por que me agrada tanto ver um viso em movimento ou incansavelmente eternizado em flashs transformados em imagem corpórea, imóvel no tempo, ocupando-me o sentido da visão?
Por que me agrada tanto ouvir o que se tem a dizer no formato de rica melodia gutural ou no formato traçado, desenhado, esculpido ou moldado sobre tal vida?
Que estranho elo – embora imaginário – criado pela mente!
Por que existe?



10/2005

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Sem saber

Existe alívio no mundo?Existe a dor dos absurdos do mundo.
Alguém se esconde e não trai suas mensagens eternas de aprendiz, de reta direção.
É desse alívio que se parte e dessa dor que a gente se abre e não mais se esconde porque somos sempre tudo o que não sonhamos porque sonhamos os sonhos de outras pessoas, e vivemos a querer ser o que éramos porque éramos e não sabíamos.

domingo, 2 de agosto de 2009

Vontades

Hoje é um dia de sentir vontades, de ter impressões de que existe um refúgio nos braços de quem amo.
A vontade é pegar de surpresa a vida que muda de estrutura, a depender das influências daquilo que usa ou não a força.
Agora é só vontade de escolher laços que prendam sem maltratar, sem ferir o coração.
Hoje é dia de não achar que sei tudo, para poder começar a aprender. Dia de deixar de lado ultrapassadas questões e conhecer jovens esboços de quem tem sede de saber.
A vontade é de corrigir falhas de conduta, respeitar o sonho alheio, seus donos...
Agora uma vontade de ser diferente.
Preferir o silêncio ao burburinho no festejo do efêmero, pois o silêncio é sempre o mesmo.
Enfim, conhecer a classe, o requinte de um mundo solitariamente satisfeito com a visão do todo.
Hoje é dia de escolher viver assim, feliz e livre de modismos, pela vontade intrínseca.
A vontade é de investigar razões para tudo, ou excessos de toda sorte; razões do que encarcera, de quem se encerra, de quem assume.
A hora é da vontade da novidade sobre o que dizem a meu respeito...
se me trará o encanto de um sorriso ou uma lágrima no coração.
Hoje é dia do calor da decisão, sem medo das ordens do destino que se aliam ao seu desejo, tímido e verdadeiro.



02/2006