Sobre textos e pensamentos religiosos

Caros leitores e seguidores do meu blog,

Em relação aos meus pensamentos e textos religiosos, quero que saibam que não estou impondo como verdade absoluta aquilo que sinto e acredito como correto. Cada pessoa tem sua experiência e seu sentimento com Deus.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Insatisfações


122 pares de sapatos e ela não encontrava um que servisse para aquela festa. 20 ternos e ele estava achando todos um lixo. Geladeira cheia e o menino batia a porta por não encontrar uma coisa gostosa. Calmante forte, com tarja preta e receita, mas eles não conseguiam dormir. Carro do ano na garagem, mas não sabiam para onde ir. Casa de luxo na praia, mas estava fechada a mais de meses…
Celular último tipo… DVD, Karaokê, Notebook, Câmera digital, Vídeo Game In Box, jogos de última geração, e muita, muita insatisfação.
Estamos nos armando de tudo o que é tipo de tranqueira material para suprir o vazio que nada preenche. Vamos ao supermercado esperando encontrar felicidade nas prateleiras, mas voltamos frustrados, com o carro cheio e a alma vazia.
Nunca o homem teve tanto acesso a Deus e nunca ficou tão distante como agora, tantos templos, tantas religiões, tantas definições e ideologias, e mesmo assim, o homem se afasta cada vez mais do seu Criador. Por isso a carência afetiva, as doenças nervosas, a violência que se espalha, o consumismo que gera as diferenças sociais tão brutais. E nada sacia o homem, quanto mais ele acumula, quanto mais possui, mais vazio vai se tornando.
Aproveite seu dia! Busque encontrar Deus pelo caminho, na pessoa que sentou-se ao seu lado no ônibus, no vizinho que você não cumprimenta já faz tempo, no animal abandonado e que você quase atropela, na árvore que seca bem em frente á sua casa, no cidadão deitado no banco da praça, no filho que se embriaga e você nem vê, na filha que sofre a desilusão do primeiro amor e você não sabe.
Quantos gritam onde está Deus?
Cegos pelo orgulho que não permite ver que Ele nunca se ausentou, sempre esteve na sua vida, no seu dia, na sua família, mas nunca foi chamado, a não ser nas desgraças e nos momentos de dor e sofrimento.
Você convidou Jesus para almoçar com você hoje?
No dia do seu casamento você mandou primeiro convite para Ele?
Na sua formatura Ele estava presente?
Hoje ao levantar-se você falou com Ele?
Você contou do seu amor, da sua alegria no trabalho?
Você quer saber onde está Deus? 
Olhe para a sua vida, como você trata os seus, olhe para a sua casa, reveja suas atitudes diárias. Os atos falam mais do que as palavras e tudo o que fazemos, são as verdadeiras orações que levamos até Ele. Por isso, antes de fazer sua oração repetida, velha e cansada da mesma ladainha, coloque um “fogo novo” na sua vida: convide Jesus para participar de todos os seus momentos, e assim, você será preenchido, saciado, envolvido pelo amor que nunca acaba, pela água que sacia a tua sede, e então, mesmo com muito pouco, será plenamente feliz, porque Ele veio para que todos tenham vida, e a tenham com abundância.

TEXTO: Paulo Roberto Gaefke

sábado, 23 de junho de 2012

Canta minh'alma! Solta o teu grito!



Cada um é responsável por andar de acordo com a revelação que tem de Deus. Toda comparação é leviana e injusta.

Fernanda Brum 

sexta-feira, 22 de junho de 2012

A FESTA JUNINA



Para nós, os evangélicos, os tempos estão mudados. Há duas ou três décadas atrás, era considerado pecado participar de eventos como festa junina, carnaval e outras manifestações populares. Hoje o povo está dividido. Com o crescimento desordenado de denominações, os valores se inverteram, novas interpretações têm sido dadas a textos bíblicos e o pecado deixou de ser tão pecado assim.
O problema é que as denominações tradicionais não fazem uma “convenção de ministros” para tratar de temas de interesse do povo de Deus. As inúmeras convenções são verdadeiros encontros políticos para demonstrações de poder entre as facções eclesiásticas.
Temas como “o crente pode ou não pode participar das festas juninas?”, ou, “o crente pode fazer sua própria festa junina”? nunca são tratados.
Resta-nos dar a orientação que achamos conveniente, não em nome da denominação que sou membro, mas em meu próprio nome e de acordo com minha experiência cristã e visão da Obra de Deus.
Em relação à festa junina, por ser ela uma festa popular, que pelo tempo terminou se incorporando ao folclore brasileiro, a pergunta que nos tem sido feita constantemente é: Há alguma implicação espiritual para o crente ou para a igreja que participa ou realiza uma festa junina?
FOLCLORE – A UNESCO declara que folclore é sinônimo de cultura popular e representa a identidade social de uma comunidade através de suas criações culturais, coletivas ou individuais, e é também uma parte essencial da cultura de cada nação. O folclore se manifesta nas crendices, nas simpatias e nas superstições contra os ventos, as chuvas, os raios e as doenças.
No meu entender, o folclore, por mais divertido e ingênuo que pareça ser, é uma demonstração da falta de fé que um povo tem em Deus e no Evangelho. Quando um povo não conhece a Deus através de Sua Palavra, fica preso a superstições, a crendices, e tentam com isso espantar os seus "fantasmas" com enredos, fogueiras, fogos de artifícios, e outros elementos como subir escadarias de joelhos, apedrejar a imagem do Judas, saltar sete ondas, jogar flores em lagos, rios e mares, e tantas outras coisas que mostram pobreza de conhecimento das riquezas da graça.
Nem é preciso relembrar a origem idolátrica da festa junina, uma vez que isto é de conhecimento de todos. O que temos observado é que em muitas festas juninas, atualmente, nem menção se faz mais a São João ou a qualquer outro santo que antigamente era cultuado neste evento.
Também sabemos que quando os evangélicos realizam uma "fogueira santa", ou, uma "festa genuína" ou, qualquer coisa deste tipo, nem se pronuncia qualquer referência aos santos. Com isto temos ouvido argumentos a favor da realização de tais eventos no meio do povo evangélico.
Já que o crente é tão festeiro e um povo tão alegre, por que não incorporar a festa junina às nossas festividades e fazermos uma festa que resulte na união do povo de Deus?
Afastando-se a idolatria, que mal há em festejar, principalmente em uma festa onde vamos comer tantas coisas gostosas que nos faz lembrar nossas raízes? 
Da minha parte, eu vejo isto como uma demonstração da "saudade do Egito".
> Números 11:5 - Lembramo-nos dos peixes que no Egito comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos.
O resultado da falta de estudos bíblicos aprofundados e da falta de pregações genuínas da mensagem do Evangelho é exatamente esta, a saudade dos pepinos, dos quentões, dos contos, das danças.
O povo de Deus está ficando à margem das riquezas da graça e está sentindo necessidade de copiar as músicas mundanas, os shows, os ritmos, as crendices e as festas idolátricas.
O Evangelho que não afasta do coração das pessoas a saudade do Egito é um evangelho fraco, debilitado, carente de conteúdo. A igreja que sente necessidade de incorporar festas pagãs às suas atividades é uma igreja mista. O crente que não abandona definitivamente tudo o que pertence à vida pagã e idolátrica é como o cativo que voltou da Babilônia, depois de setenta anos de escravidão, mas, leva os seus netos para conhecer o lugar onde esteve cativo, especialmente nos dias dos festejos do povo que o escravizou.

O que a Bíblia dia a esse respeito?

> Isaías 48:17 - Assim diz o SENHOR, o teu Redentor, o Santo de Israel: Eu sou o SENHOR teu Deus, que te ensina o que é útil, e te guia pelo caminho em que deves andar... Saí de Babilônia, fugi de entre os caldeus. E anunciai com voz de júbilo, fazei ouvir isso, e levai-o até ao fim da terra; dizei: O SENHOR remiu a seu servo Jacó. E não tinham sede, quando os levava pelos desertos; fez-lhes correr água da rocha; fendeu a rocha, e as águas correram. 
> Apocalipse 18:2 - E clamou fortemente com grande voz, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia, e se tornou morada de demônios, e covil de todo espírito imundo, e esconderijo de toda ave imunda e odiável.
> Apocalipse 14:4 - E ouvi outra voz do céu, que dizia: Sai dela, povo meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas.
> 1 João 2:15 - Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.

Portanto, como presbítero, como pastor, como pregador, como crente, como sacerdote do meu lar, eu vou continuar ensinando que o crente não deve participar nem realizar festas juninas. O crente não precisa disto.

Em Cristo, Sandoval Juliano - O Presbítero - 15.06.2012.

Fontes de consulta:

O São João nada mais é que a comemoração da morte de um justo, um santo de Deus, João Batista.
Na festa de aniversário do rei Herodes fizeram uma grande festa com danças, comidas e bebidas. Ele se agradou tanto da dança de Salomé,  filha de Herodias (amante do rei) que disse à menina pra pedir o que quisesse a ele. A menina foi perguntar à mãe dela o que pedir. A mãe dela, que tinha raiva de João porque ele falou ao rei que não era lícito o rei tomar para si a mulher de seu irmão (Filipe). E ela queria ver João morto por isso. Então mandou a menina pedir a cabeça de João Batista. O rei já havia prometido que daria o que a moça pedisse e mandou decapitar João e entregou a cabeça dele à menina num prato.
Jogaram a cabeça dele numa fogueira e dançaram e festejaram, daí a festa junina. Porém muitos preferem acreditar que a festa junina surgiu do fato de Isabel ter acendido uma fogueira pra avisar a Maria do nascimento de João. [Marcos 6:17-28; Mateus 14:3-12] 

quinta-feira, 21 de junho de 2012

A confusão dos infelizes


Muita gente confunde as coisas e julgam os outros e a vida dos outros a seu modo (tolice!)... se eu disser que não gosto de usar decote, já acham que é porque eu condeno quem usa decote. Se eu não gosto de usar maquiagem, é porque o ‘pastor’ da igreja que freqüento disse que não é pra usar. Se eu gosto de roupa comprida, saias longas, eu pareço uma velha e me visto assim toda coberta porque fui influenciada a ser assim. Se eu não me sinto muito à vontade em festas, eu não sei aproveitar a vida. 
Confundem o jeito de ser da pessoa com reprovação, como se ela fosse hostil em relação a tudo e a todos que fazem o contrário do que ela faz. Não sou legalista e tenho pena de quem é.
Vão ser felizes! Cuidando das suas próprias vidas, claro. Deus deu uma a cada pessoa. Porque só pode ser infeliz aquele que vive se ocupando da vida alheia, pois certamente faz da própria vida um desastre e tão desinteressante que não vive sem dar ‘pitaco’ na vida dos outros, que é mais interessante que a sua. A vocês que não vivem nem deixam viverem: ô, coitados!

terça-feira, 19 de junho de 2012

Nem pra Cristo foi fácil!


“Nem pra Jesus as coisas foram fáceis. Porque você acha que pra você tem que ser?“
 

Estava pensando nisso dia desses... que quando Jesus estava na cruz e falou pra Deus ‘por que me desamparaste?’ ele tava numa aflição terrível, e é como a gente se sente com muito menos do que Ele passou. Ele ficou se sentindo sozinho, mas no fundo sabia que não estava. Continuou confiando em Deus e passou pelo que tinha que passar. Pensamos que estamos desamparados, mas não estamos. Não sei você, mas eu confesso que já pensei assim: ‘Ah, mas Jesus é o Filho de Deus! Moleza ser Santo nessa Terra!’ Só que não é bem assim... Ele veio também com uma natureza humana, não só a divina. Sentiu dor, angústia e tristeza como nós sentimos. Aí me arrependi de ter pensado daquele jeito.

segunda-feira, 18 de junho de 2012

O que o Mestre faria?


Diante de qualquer situação, seja difícil, seja embaraçosa, triste, de dor ou até de alegria, pense: o que o Senhor Jesus faria num momento como este?

domingo, 17 de junho de 2012

Até chegar à perfeição


Para ser aperfeiçoado por Deus, só no fogo das provas. Há quem pense que basta se tornar cristão para os problemas todos sumirem como num passe de mágica.
Estamos aqui nessa baixa Terra para passar o restante do martírio de Cristo! Por isso as provas! Para buscarmos mais a Deus, para vigiarmos mais, orarmos mais, para nos sintonizarmos muito mais com o céu.
Podemos não querer aceitar, mas é assim que funciona, porque o ser humano se espalha na largueza, na bonança, na falta de prova, na distração, e se esquece de Deus.

sábado, 16 de junho de 2012

O pregador



Para o incrédulo, o pregador do evangelho é como uma farpa no olho e uma pedra no sapato, o perturbador de Israel, aquele que perturba o mundo.

Paul Washer

sexta-feira, 15 de junho de 2012

A certeza do Espírito Santo



Você sabe quando não está agindo por religiosidade quando: 

  • nem o mundo nem ninguém no mundo conseguem lhe influenciar, só Jesus Cristo; 
  • quando você se percebe completamente dependente de Deus e não da opinião alheia ou seus recursos; 
  • quando você conhece bem a doutrina de Cristo e o Espírito Santo lhe dá certeza de que é a doutrina de Cristo que você segue e não doutrina que se molda às mudanças do mundo contemporâneo.
É o que penso, é como eu sinto. Se falta ou sobra algo, o Espírito Santo nos ensinará no tempo certo.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Não se deixe levar por sensações do agora


“É loucura odiar todas as rosas porque uma espetou o seu dedo. Perder a fé em todas as orações porque em uma você não foi atendido. Desistir de todos os esforços, porque um deles fracassou. Condenar todas as amizades porque uma te traiu. Descrer de todo o amor porque um deles foi infiel. Jogar fora todas as tentativas de ser feliz, porque uma tentativa não deu certo. Evite tudo o que te faz mal e sua felicidade será conseqüência.”

Diversificada


quarta-feira, 13 de junho de 2012

Em unidade



Ande em unidade com Cristo e com quem anda em unidade com Cristo. Estes serão os seus amigos mais chegados porque viverão a mesma fé que a sua. Eles sempre compreenderão que você é como é e age como age por uma razão que eles conhecem sem que você precise dar explicações sobre isso.

É difícil interpretar silêncios


"É fácil trocar palavras, difícil é interpretar os silêncios" 

Fernando Pessoa    

terça-feira, 12 de junho de 2012

Que amor...



- Bob Esponja: - Se eu partir, você me espera voltar?
- Patrick: Não, eu vou junto.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Ao Grande Eu Sou


Estou por fora dessa vida que dizem que é viver de verdade.
Acompanha-me uma dor que eu gosto de sentir...
Dor que é resultado da atitude de quem mata seu ‘eu’ um pouquinho a cada dia, e se anula por amor ao Grande Eu sou!

Amor que não se mede


Prefiro


sábado, 2 de junho de 2012

Nos moldes de Deus


Eu sou como Deus me moldou, sou como Deus quer que eu seja a fim de cumprir Seus desígnios. Não sofri e nem sofro nenhum tipo de influência desse ou daquele, a não ser de Cristo Jesus, o Modelo Santo.
Sigo o que o Espírito Santo me diz, sinto o que Ele me faz sentir. Aprendo pelo Espírito de Deus, o maior e melhor professor, absolutamente confiável e perfeito. Não sou como acham que eu devo ser. Sou como Deus me quer.
O cristão não deve se deixar levar pelas vozes estranhas e sobretudo, depois afirmar que foi a voz do Espírito Santo. Cuidado!

Vivo no presente


O que é chic?


Convide-O para entrar em sua vida