Sobre textos e pensamentos religiosos

Caros leitores e seguidores do meu blog,

Em relação aos meus pensamentos e textos religiosos, quero que saibam que não estou impondo como verdade absoluta aquilo que sinto e acredito como correto. Cada pessoa tem sua experiência e seu sentimento com Deus.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Sobras do tempo

Temos pouco tempo para sermos vida e sentirmos a vida.
Mas o que somos e sentimos se não nos sobra um tempo?
Somos e sentimos nada, somos um sopro no vento. Resta pouco tempo.
E o que queremos?
Ser imortais.
Não se tem mais tempo para ser feliz...
Para dar e receber amor, não se tem tempo.
Responde ao menos: o que fizeste dos sonhos que lhe dedicaram?
Acaso viraram espectros?
O que fizeste com uma perspectiva?
Uma diretiva sem ter compreensão do que vale a pena?
O que fizeste da mão estendida quando a confusão dilacerava?
Fora abandonada, aviltada?
O que fizeste com o olhar fito em sua direção?
Fora desviado, já enfadado por não encontrar o teu?
O que fizeste com o sorriso?
Algo sem motivo de ter expressão?
O que fizeste com o sentimento?
Colocou-o à prova quando disseste que em ti não o tinha?
O que fizeste com as palavras que tão doces derramaram sobre ti?
Foram afogadas quando por ti consideradas desnecessárias?
O que fizeste da memória de toda uma vida?
Um lapso apenas?
O que fizeste enfim com tua vida?
Desagregada, esquecida, complicada, finita, descompassada...

2 comentários:

Liliana Seven disse...

“O primeiro amor passou.
O segundo amor passou.
O terceiro amor passou.
Mas o coração continua.”

Carlos Drummond de Andrade

Rosa Púrpura disse...

buá buá vesti a carapuça! Em 2009 vou tentar, amiga, vou pegar o tempo, colocar no colo e dar umas palmadas por ter me feito perder horas preciosas. rsrs Falando sério, seríssimo, escreveu lindamente. Perdemos de fazer hoje, crendo que teremos o amanhã, e se não o tivermos? Uma lágrima cairá nos olhos de alguém, por falta de um gesto nosso. Imagina isso em proporções gigantescas! Bilhões de pessoas deixando pra depois o que poderiam muito bem fazer hoje! Caramba. Quanto desperdício! Vai ver está aí o motivo de tantas tristezas e desilusões. **bjos